Um projeto do leigo para o ano do laicato. 

Bem sabemos que o convite foi lançado, mais a decisão e aceitação é livre. Hoje em dia é muito comum no meio eclesiástico ouvir a frase: “faltam obreiros para a missão e logo em seguida se ouve que há muitos obreiros precisando de uma igreja”. Sem dúvidas é um grande paradoxo.

Na verdade, sabemos que faltam obreiros para desafios em campos missionários e pequenas igrejas no interior e nas periferias das grandes cidades. Ao mesmo tempo em que para igrejas consolidadas e com estrutura há uma verdadeira disputa por uma oportunidade.

Diante da situação nas igrejas atuais, imagino que Jesus teria falado dos chamados, dos escolhidos e também dos oferecidos. Jesus já havia avisado que “a seara é grande, mas poucos são os trabalhadores” e deixou também a solução para o problema “rogai ao Senhor da Seara que mande mais trabalhadores para Sua Seara” (Mateus 9.38). Ninguém pode dizer que não tem oportunidade para servir a Deus, porque o desafio da evangelização é gigantesco. Precisamos orar mais, como Jesus ensinou para que o Senhor da seara mande mais obreiros para a missão. Vamos refletir no versículo 14 de Mateus 22 e veremos sobre três tipos de pessoas que encontramos na igreja:

1º Os chamados: Os chamados são muitas pessoas que são convidadas a participar e contribuir com o trabalho missionário. Toda igreja ao fim do ano abre um apelo para pessoas servirem nas diversas áreas da Igreja. Quase sempre as áreas mais disputadas, como o louvor, têm a maior procura e os mais discretos como ação social e evangelização são menos concorridos. Mas aqueles que se reconhecem chamados por Deus estão dispostos a fazer o que for preciso. Alguns chamados são como malabaristas na Igreja segurando tudo o que está caindo. Sempre tapam alguma falha de um irmão na última hora. Um exemplo bíblico de chamado foi onde Isaías ouviu a pergunta do Senhor “a quem enviarei?” e respondeu “envia-me a mim” (Isaías 6.8). Todos os cristãos são chamados por Deus para servir a igreja como “sacerdócio real” (I Pedro 2.9).

2º Os escolhidos: Os escolhidos são poucas pessoas que sentiram o chamado de Deus para a missão e se entregaram totalmente. Cristãos dedicados que não conseguem ficar parados vendo a banda passar. Engajam-se facilmente em uma tarefa e não escolhem muito o que fazer, antes aproveitam as oportunidades de acordo com as necessidades que aparecem. São verdadeiros servos de Deus e uns dos outros. Que se reconhecem como escolhidos de Deus para um ministério, sabem qual é a sua missão no Reino de Deus e na sua igreja estão dispostos a pagar o preço que for preciso. Um escolhido de Deus exerce seu ministério em qualquer tempo e lugar. Por exemplo, se seu chamado foi para evangelizar, você faz isso independente de qualquer situação sem precisar ser escalado para uma programação da igreja. É algo natural na vida do escolhido. Gideão foi um exemplo Bíblico de pessoa escolhida por Deus (Juízes 6.11-19) e seus companheiros de batalha também foram escolhidos pelo Senhor ficando apenas trezentos (Juízes 7.1-5). Hoje estamos no tempo da graça e cremos que Deus não escolheu apenas algumas pessoas especiais e sim a todos nós. Contudo poucas pessoas se dispõem mais abertamente para Deus e “cumpre cabalmente o seu ministério” (II Timóteo 4.5).

3º Os oferecidos: Os oferecidos são pessoas que não foram nem chamados, muito menos escolhidos, mas se oferecem para fazer algo na igreja. Acabam entrando pela janela e conseguindo alguma posição no Corpo de Cristo. Preferem sempre cargos de destaque. Os oferecidos gostam muito de microfone e auditórios cheios. Se forem chamados para fazer algo para poucas pessoas, não se dispõem. Alguns exemplos de pessoas oferecidas na Bíblia são Nadabe e Abiú que apresentaram fogo estranho no altar de Deus sem ter permissão para isso e foram mortos pela ira de Deus (Levítico 10.1). Saul ofereceu sacrifício sem a presença do sacerdote Samuel e perdeu o seu reino (I Samuel 15.1-20). Ananias e Safira quiseram aparecer e mentiram sobre uma oferta que ninguém tinha pedido, por isso morreram (Atos 5.1-10). Muitos acham bonito quem canta, quem fala e quem prega no altar, mas precisam entender que para estar ali é preciso muito esforço e dedicação. Não se deve escolher um ministério pela aparência e sim pelo que Deus mostra especificamente para você. Existem pessoas escolhidas para atender grandes igrejas e têm um ministério de sucesso. Entretanto, se forem realmente pessoas escolhidas por Deus, terão vindo de um difícil começo, lutaram muito para chegar até onde estão e mesmo assim não têm dificuldades de ir a um canto qualquer para fazer a vontade de Deus.

Qual dos grupos de pessoas você se encaixaria? Você é um chamado, um escolhido ou um oferecido? Quem é chamado e escolhido não faz o que quiser na hora que der vontade e sim obedece ao mandato de Deus para sua vida o tempo todo sem questionar ou murmurar.

Texto: Autoria – Rev. Welfany Nolasco Rodrigues – Pastor Metodista – Ampliado e adaptado por Mariano Alves Junior

Nascido no interior de Saloá Pernambuco, cresceu na roça com seus 8 irmãos. Desde cedo sabia que sua vocação era sim o trabalho social, fazer o bem compartilhando ideias. Aos 13 anos tornou-se feirante, e não demorou muito bateu asas. Aos 15 anos chegou em Ferraz de Vasconcelos SP. Trabalho nunca foi um problema, fazia de tudo que precisasse e sempre conciliando estudos. Hoje reside em SP Capital. 

Católico fervoroso e verdadeiro "FILHO DE MARIA"; foi Acolhido pelo movimento mariano do Terço dos Homens e; movido a desafios aceitou a proposta para levar a imagem de NOSSA SENHORA por todo este imenso BRASIL.

 millergomes/index.php/blog-miller-gomes